A Associação de Brasileiros na Noruega é formada por brasileiros e para brasileiros. Nosso objetivo é promover atividades que venham suprir à algumas das necessidades da nossa comunidade. A participação dos nossos membros é absolutamente central para que possamos atingir este objetivo.

Antes de mais nada, gostaria de ressaltar que as propostas aqui apresentadas estão baseadas nos pressupostos teóricos de Kamil Øzerk. Este tem publicado diferentes artigos e livros no qual aborda aquisição e aprendizagem de segunda língua e de língua estrangeira em contexto norueguês.

Apresentamos aqui uma abordagem, e não uma verdade, de ensino de português como segunda língua. Assim, estamos abertos a opiniões e sugestões que possam contribuir para o alcance de nosso objetivo: a aquisição da língua portuguesa como meio de comunicação para os nossos pequenos.

Proposta pedagógica das atividades de língua portuguesa da ABN

Falar uma Língua é uma atividade muito complexa. Uma bebê leva um ano ouvindo uma língua e treinando os sons para então pronunciar sua primeira palavra. Estamos falando de uma criança que está adquirindo sua língua materna. No caso de uma criança na creche que está aprendendo uma segunda língua, este processo pode levar até cinco anos. Isso não quer dizer que ela não aprendeu nada. O que acontece é que a fala é o produto final do processo de aquisição de uma língua. E este produto precisa de uma série de fatores extras que vão além da língua. Por exemplo, ela precisa está segura de que não será reprimida ou ridicularizada caso não apresente uma estrutura ou uma pronuncia adequada. Ela precisa de motivação e necessidade de uso da língua em questão.

A criança precisa criar uma identificação com a cultura e com as pessoas através da qual ela está adquirindo a língua. Ela tem que adquirir esta segunda língua dentro de um processo de adição, ou seja, este idioma novo vem a somar e acrescentar ao conhecimento idiomático que ela já possui. E não um processo subtrativo em que colocamos as crianças expostas somente à um idioma ignorando sua bagagem.

No caso das crianças brasileiras na Noruega que estão expostas a dois idiomas desde de pequenas pelos pais ou na creche, o que se deve fazer é um rito de passagem na qual a criança possa ser agente do processo e para tal ela precisa entender o que está acontecendo.  Desta maneira, torna-se fundamental que os educadores envolvidos tenham domínio do mesmo idioma neste processo inicial de aquisição.

Apesar de muitas crianças terem o português como língua materna, estamos em contexto em que muitas estão adquirindo ou aprendendo este como língua estrangeira.  Esta é outra distinção que falaremos em um próximo artigo. Há diferentes traços distintivos entre as duas formas de aquisição/aprendizagem. Abordarei apenas um entre eles aqui que é a distinção básica entre língua estrangeira e segunda língua. A diferença encontra-se no fato desta ser a língua da comunidade na qual o falante se insere e a outra não. Por exemplo o inglês para o norueguês é uma língua estrangeira tendo em vista que esta não é a ou uma das línguas oficiais do país. O mesmo não acontece no Canada, tendo em vista que o inglês é uma língua oficial, sendo, portanto, de uso na comunidade de falantes.

Neste contexto, o português torna-se uma língua opcional para as nossas crianças. A necessidade e a motivação para a aquisição e desenvolvimento da língua materna diminuem na medida que a criança entre em contato com a língua oficial. Muitos brasileiros vivenciam a luta diária para o uso da língua que muitas vezes se restringe ao uso doméstico e de férias de verão no Brasil.

Este buraco idiomático pode ser e é, muitas vezes, causa de muitos conflitos familiares, tendo em vista que a perca do português significa também a perca de conhecimento e de identificação com a cultura brasileira.

Esta perda é muito grave! Como uma mãe ou um pai conseguirá se comunicar e educar o seu filho a partir de referências desconhecidas para este? E neste caso também, os pais devem conhecer e aprender o norueguês para conhecer e entender como que o governo norueguês educa nossos filhos na escola. A comunicação entre as duas culturas é fundamental para criarmos um diálogo e não ruptura entre as duas culturas.

Agrupamento das funções da linguagem

Há seis funções da linguagem:
1) Uso da linguagem para estabelecer contato social
2) Uso da linguagem para trocar informações
3) Uso da linguagem para expressar sentimentos
4) Uso da linguagem para expressar opiniões e avaliações
5) Uso da linguagem para adequar-se à ação
6) Uso da linguagem para adequar ao contexto da conversação

A partir destas funções iremos planejar nossas atividades para desenvolver a competência comunicativa das crianças em língua portuguesa.

No primeiro dia de aula estaremos apresentando detalhadamente nossa metodologia e o programa completo das aulas.

 

Leia mais:Estatuto

Topo
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com